Ocorreu um erro neste gadget

domingo, abril 26, 2009

MUSEU ATTÍLIO CORRÊA LIMA

Osmar Pires, presidente da Academia Goianiense de Letras, informa que a criação do Museu Attílio Corrêa Lima é só uma questão de tempo e já conta com o apoio da SEPLAM.
"A Secretaria Municipal de Planejamento e Urbanismo de Goiânia - SEPLAM, por meio
do Ofício no 0421/2009 – GBSE, de 06.04.09, da lavra do titular da pasta, professor
Luiz Alberto Gomes de Oliveira, com base no Parecer no 017/2009, da Divisão de
Requalificação Urbana e Patrimônio – DVRUP, parecer favorável à proposta
apresentada pela Academia Goianiense de Letras – AGnL, via Ofício no 03/09, de
30.01.09, que “solicita estudo sobre a possibilidade de convênio para aquisição, doação
ou comodato de imóvel, situado no perímetro tombado pelo IPHAN, em parceria com a
Prefeitura de Goiânia, para sediar o Projeto Museu Attílio Corrêa Lima...


O parecer supracitado foi assinado pela arquiteta - urbanista Tania Daher, autora do
livro “Goiânia: uma utopia européia no Brasil”, publicado pelo ICBC em 2003, com
323 páginas e pelo arquiteto - urbanista Vilmar Augusto L. da Silva, Chefe da DVRUP,
com o de acordo de Jeová de Alcântara Lopes, Diretor de Ordenamento e Ocupação do
Solo Urbano.

A solicitação da AGnL foi acolhida com base na Lei Orgânica e no Plano Diretor, que
amparam iniciativas enquadradas no programa de resgate e preservação da memória
histórico-cultural, visando recuperar os marcos representativos da memória da cidade.
O parecer aponta as possibilidades previstas na legislação pertinente de alienação de
imóvel municipal, visando sediar o Museu Attílio Corrêa Lima, sob as formas de
doação, concessão real de uso, concessão administrativa, permissão ou autorização, de
acordo com o enquadramento da categoria do bem a ser alienado, uso, relevância e
interesse público ou a entidades assistenciais sem fins lucrativos.

An passan, a ilustre parecerista da SEPLAM discute a concepção urbanística do Plano
Original da Cidade, para, ao final, indicar os prováveis locais que poderiam abrigar o
museu, na área tombada pelo IPHAN: i) Grande Hotel; ii) antiga sede da Estação
Ferroviária; e, iii) residência localizada à Rua 20, Qd. 34, Lt. 25, Setor Central.
Visitei e registrei a situação atual de cada um dos locais indicados pela SEPLAM e
apresento breve relato, em anexo, visando subsidiar a discussão em tela."

No relatório citado acima, Osmar Pires descreve a situação de cada um dos imóveis e quem desejar saber um pouco mais pode escrever para ele no mail osmar.pires@gmail.com, vale a leitura,um grande trabalho.

Osmar Pires, para quem não sabe, foi o cara que finalmente transformou a SEMMA (Secretaria Municipal de Meio Ambiente) em realidade em Goiânia, criada desde 1987, serviu durante muitos anos para dar cargos a pessoas sem qualquer compromisso com o meio ambiente, em 1993 essa triste realidade começou a mudar. Agora está trabalhando para "restaurar" a memória do autor do Plano Urbanístico da cidade de Goiânia, Attílio Corrêa Lima.

Nenhum comentário: