Ocorreu um erro neste gadget

domingo, maio 27, 2007

MEMÓRIA DO CÉSIO 137

Excelente entrevista no JORNAL OPÇÃO sobre o acidente radioativo de Goiânia.
O repórter Weber Borges, em 1987 ousou desafiar o presidente Sarney a visitar Goiânia, acompanhado de Dona Marly, por ocasião do acidente com o césio 137 e foi demitido sumariamente. Depois de 20 anos, Weber Borges ainda questiona o fato evidente que a cidade não mudou, pouco se fala sobre o assunto e de quebra, toda a sujeira foi varrida para debaixo do tapete. Ou melhor, para debaixo do Centro de Convenções de Goiânia.
A entrevista vale a pena ser lida e apreciada como um excelente vinho e analisada com cuidado. Até quando continuaremos a viver uma Goiânia de faz de conta? O que aprendemos com os acontecimentos?


"O jornalista que foi vítima do césio

Repórter atento, convocou o então presidente José Sarney, durante o programa de Hebe Camargo, e foi demitido pela rede de televisão dirigida por Silvio Santos. Dono de um acervo gigante sobre o acidente radioativo de Goiânia, o jornalista diz que a universidade precisa discutir mais o legado científico do acidente provocado pelo césio.

Aos 62 anos, Weber Borges é um jornalista experimentado e paciente. Em 1987, com 42 anos, era mais afoito, mas já era experiente. Diretor do programa Goiânia Urgente, da TV Goiá, então retransmissora da programação do SBT de Silvio Santos, descobriu, meio por acaso, que o acidente radioativo de Goiânia, conhecido também como “acidente do césio”, estava sendo “escondido” da opinião pública. Na verdade, percebeu o repórter atento, que tem o hábito de filmar quase tudo, que o governador Henrique Santillo, o secretário da Saúde, Antônio Faleiros, ambos médicos, e técnicos do governo ainda não sabiam exatamente o que havia acontecido, em setembro de 1987. Só com a presença de técnicos da Comissão Nacional de Energia Nucler na capital, como José Júlio Rozenthal, que hoje mora em Israel (trabalha na área nuclear do governo judeu), é que começou-se a dimensionar com mais precisão o acidente. No início, nem mesmo os técnicos entenderam direito o que estava acontecendo — daí Weber Borges dizer que houve também outro grave acidente: o da desinformação. Muitos técnicos andaram pelos locais afetados pela radioatividade sem nenhuma proteção, percebeu o olhar agudo de Weber Borges. Autor de um livro seminal para se entender o acidente, Eu Também Sou Vítima — A Verdadeira História Sobre o Acidente com o Césio 37 em Goiânia (editado de modo mais criterioso, extirpando os erros provocados talvez pela pressa, teria sido best seller), Weber Borges é, por assim dizer, também uma vítima do césio. Não que tenha sido contaminado pela radioatividade. Foi, digamos, sacrificado pela TV Goiá. Motivo: presente no programa de Hebe Camargo, convidado a aproveitar os 30 segundos finais, Weber Borges soltou o verbo e disse que o presidente José Sarney (aquele do bigode e do jaquetão), no lugar de visitar a Colômbia, que não sairia do lugar, deveria visitar Goiânia, para verificar, pessoalmente, a extensão do acidente. Língua solta, o jornalista acrescentou que deveria trazer a mulher, Marly, para provar que, apesar do acidente, a capital goiana não oferecia riscos. Resultado: Sarney veio, sim, mas Weber Borges perdeu o emprego. Comentou-se na época que Silvio Santos, informado pelo Palácio do Planalto, teria ficado chateado com a impertinência do jornalista. Era preciso punir o senso de oportunidade do repórter. Portanto, indiretamente, Weber Borges é uma vítima do césio. Dono de excelente acervo de documentos do césio, Weber Borges conta que ele tem sido pouco consultado. Embora não tenha noção precisa do que se produz academicamente, diz que a universidade precisa discutir, com mais freqüência, o legado científico do acidente radioativo. Na próxima edição, o Jornal Opção publica a segunda parte da entrevista. " CONTINUA

Fonte: JORNAL OPÇÃO http://www.jornalopcao.com.br/index.asp?secao=Entrevistas&idjornal=239

sexta-feira, maio 18, 2007

V Encontro do ICOM Brasil

Realização é do Demu/Iphan, do ICOM Brasil e do Fórum de Museus de Pernambuco

De 22 a 25 de maio, em Recife, o V Encontro do ICOM Brasil terá como tema Museus e Patrimônio Universal. A iniciativa é do Departamento de Museus e Centros Culturais do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Demu/Iphan), em parceria com o Conselho Internacional de Museus (ICOM) e o Fórum dos Museus de Pernambuco. As inscrições para o evento - que vai contar com conferências, debates e painel - podem ser feitas até o dia da abertura.

O V Encontro do ICOM Brasil visa a divulgação das missões, ações e iniciativas do Comitê Brasileiro do ICOM para os profissionais e entidades da área museológica do Norte e Nordeste. O objetivo é descentralizar sua atuação e ampliar a representatividade nas regiões, além de congregar profissionais de museus e áreas afins para troca de experiências e informações no âmbito das ações museológicas, numa reunião coordenada pelo ICOM Brasil e o Fórum dos Museus de Pernambuco. Dentro do mesmo encontro, o Demu/Iphan e o Fórum dos Museus de Pernambuco vão organizar a reunião preparatória para o IX Fórum Nordestino de Museologia.

E será realizada, ainda, uma sessão dos comitês do ICOM para a preparação dos documentos a serem apresentados na Conferência Geral do ICOM em Viena, prevista para agosto.Confira a programação.A ficha para inscrição está disponível no site www.forumdosmuseusdepernambuco.com.br.

O V Encontro do ICOM Brasil acontecerá no Auditório Benício Dias, do Museu do Homem do Nordeste, da Fundação Joaquim Nabuco.

Fonte:(Texto: Carolina Mazzaro)(Edição: Carol Lobo)(Comunicação Social/MinC)

Só para lembrar hoje é o dia internacional dos museus.

quinta-feira, maio 17, 2007

Goiás fortalece os museus goianos.

O tempo anda curto e o blog é quem está pagando o pato ou melhor, desatualizado mesmo!

Mas aguardem, brevemente um texto sobre o andamento do projeto do Senador Crivella, a entrevista do Roberto Mangabeira Unger, Secretário Especial de Ações de Longo Prazo, que afirma que não é museu e outra fofocas do cenário cultural goiano.

Hoje limito-me a informar que o site da AGEPEL http://www.agepel.go.gov.br/index.html consta que o Governo do Estado de Goiás irá fortalecer os museus goianos.

“Linda Monteiro anuncia medidas para fortalecer museus

A presidenta da Agência Goiana de Cultura (Agepel) Linda Monteiro anuncia nesta quinta-feira, 17 de maio, a criação de um grupo de trabalho que vai atuar na revitalização dos seis museus da Agepel e na orientação das ações dos centros culturais das cidades goianas que tem acervos sob sua guarda. O anuncio vai ser feito às 9 horas, no Museu Pedro Ludovico, na presença do ex-governador Mauro Borges como parte das comemorações da Semana Nacional dos Museus que estão sendo realizadas em todo o País, em parceria com o Departamento de Museus/Iphan do Ministério da Cultura.

A decisão de revitalização dos museus foi tomada pela presidenta logo que assumiu o cargo na Agepel, em março último. Linda Monteiro solicitou um diagnóstico sobre a situação em que se encontravam os acervos e os espaços que abrigam os museus e os centros culturais do Estado. Com o diagnóstico preliminar em mãos, ficou definida a intervenção imediata no acervo do Museu Pedro Ludovico, composto de documentos pessoais (850 itens), livros (500 livros), mobiliário (2000 peças) doados, juntamente com o imóvel, pela família do fundador de Goiânia, Pedro Ludovico Teixeira, em 1979.“
A noticia pode ser lida na integra site.

Linda Monteiro, feminista de carteirinha, assume pela segunda vez o cargo de presidenta da AGEPEL que anteriormente era uma Fundação. E em sua primeira gestão foi criticada por optar por se preocupar com o patrimônio cultural edificado. E essa vem sendo a maior crítica a sua atuação.

Para quem atua na área do Patrimônio, as expectativas são muitas e as esperanças estão renovadas de que finalmente, o acervo cultural do Estado de Goiás receba a atenção necessária. Menos eventos e mais ações permanentes.

quarta-feira, maio 02, 2007

Marcelo Crivella propõe garfada no PRONAC

ESSE PAÍS NOSSO NÃO TEM CONSERTO!!!!!!!!!!!
É UMA BOBAGEM APÓS A OUTRA!!!!!!!!
DEVERIAM É FAZER UMA CPI DAS IGREJAS

BEIJO

Divino Sobral
Artista Plástico, brasileiro

terça-feira, maio 01, 2007

Projeto do senador Crivella inclui igrejas na Lei Rouanet

“O Globo - RJ, Adriana Vasconcelos, 18/04/2007

O Senado está a um passo de aprovar um projeto de lei, de autoria do senador Marcelo Crivella (PRB-RJ), que inclui as igrejas entre as beneficiárias do Programa Nacional de Apoio à Cultura (Pronac). Mais conhecido como Lei Rouanet, aprovado em 1991 pelo Congresso Nacional, o Pronac permite que empresas invistam em projetos culturais até 4% do equivalente ao Imposto de Renda devido.— Nada expressa melhor a formação de nossa cultura que o caldeamento das diversas religiões, seitas, cultos e sincretismos que moldaram o processo civilizatório nacional — argumenta Crivella, sobrinho de Edir Macedo, fundador da Igreja Universal do Reino de Deus.O projeto chegou a ser aprovado em caráter terminativo na Comissão de Educação, mas um recurso para que fosse apreciado pelo plenário impediu que seguisse para a Câmara.

Uma emenda apresentada pelo senador Sibá Machado (PT-AC) obrigou a volta do texto para a comissão.Ainda precisará ser votado no plenário do Senado e depois ir à Câmara.Como o projeto original fazia referência apenas a “templos”, sem especificar sua natureza, ao estender a eles os benefícios da Lei Rouanet, o senador Sibá considerou necessário acrescentar um adendo.

A emenda, que teve o parecer favorável do senador Paulo Paim (PT-RS), foi aprovada ontem pela Comissão de Educação e deixa mais claro que o Pronac poderá ser usado para contemplar não só museus, bibliotecas, arquivos e entidades culturais, como também “templos de qualquer natureza ou credo religioso”.
Fonte:http://mundogump.blogspot.com/2007/04/bispo-senador-marcelo-crivela-quer.html