Ocorreu um erro neste gadget

sexta-feira, fevereiro 24, 2006

ROUBO NO MUSEU CHÁCARA DO CÉU
















GLOBO ON LINE - 24/02/2006 - 20h48m - Obras de Dalí, Picasso, Monet e Matisse roubadas da Chácara do Céu. Ladrões ameaçaram usar granada

Por Rodrigo Pinto - Globo Online, Vera Araújo - O Globo

RIO - Ameaçando usar uma granada e agindo com velocidade e violência, pelo menos quatro homens levaram, nesta sexta-feira, do Museu da Chácara do Céu, em Santa Teresa, os quadros "A dança", de Pablo Picasso, "Dois balcões", de Salvador Dalí, "Marine", de Claude Monet, e "Jardim de Luxemburgo", de Matisse, além do livro "Toros", de Picasso. São, segundo diretora do museu, Vera de Alencar, as obras mais valiosas da instituição. A ação do bando se assemelha à dos ladrões que, em 2004, roubaram a obra-prima do mestre norueguês Edvard Munch, "O grito" .

Durante o assalto, o bando rendeu pelo menos nove pessoas, incluindo cinco turistas que visitavam o local. Um casal neozeolandês e duas estudantes australianas tiveram suas máquinas fotográficas roubadas. De acordo com a assessoria de imprensa do museu, um dos guardas tentou impedir que os ladrões levassem um dos quadros e acabou levando um soco no rosto. Os bandidos também ameaçaram jogar uma granada caso alguém se aproximasse. Um dos guardas tentou, ainda, recuperar o quadro de Picasso, mas recebeu uma coronhada.

A diretora do museu afirmou que os bandidos ordenaram o desligamento do circuito interno de TV. A fuga dos ladrões ocorreu durante a passagem do bloco das Carmelitas.

O diretor do Departamento de Museus do Ministério da Cultura, José do Nascimento Jr., já informou o ministro da Cultura, Gilberto Gil, sobre o roubo. Gil, por sua vez, já entrou em contato com a Superintendência da Polícia Federal no Rio de Janeiro e com o misnistro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, que prometeu empenho máximo da PF. A Interpol já está envolvida no caso e atuará em 182 países na busca das obras.

- O importante agora é divulgarmos ao máximo as imagens das obras, para inibirmos a revenda das obras - disse Nascimento Jr.

A intenção é evitar que os quadros saiam do país, já que a suspeita é de que a ação seja de uma quadrilha internacional. No entanto, como as obras são conhecidas internacionalmente, Vera de Alencar acredita ser difícil o repasse a colecionadores.

- O quadro de Dalí, por exemplo, é o único em coleção pública na América Latina. E viaja o mundo inteiro. São quadros muito conhecidos. Os caras foram no filé mignon - disse Vera.

A diretora do Museu da Chácara do Céu lamenta o roubo num bom momento para o museu, segundo ela:

- Os móveis novos foram todos instalados, está chegando carro novo, estava tudo em cima. É a insustentável leveza do ser, não pode durar muito - queixou-se.

Esta semana, o Ministério da Cultura divulgou o investimento federal nos museus em 2005 , acima de R$ 95 milhões, a maior cifra da história do setor.

O Museu Chácara do Céu é a antiga residência do empresário e mecenas Raymundo Ottoni de Castro Maya (1894-1968) e pertence ao Ministério da Cultura há 23 anos.

Nenhum comentário: