Ocorreu um erro neste gadget

terça-feira, março 18, 2008

Recuperando a memória histórica.

Como sabem participo do Fórum Permanente de Cultura em Goiânia, que basicamente é um espaço permanente de discussões sobre cultura e a gestão pública da cultura.

O nosso momento em Goiânia é de absoluto espanto diante dos últimos acontecimentos no PT - Partido dos Trabalhadores. Onde militantes optam entre firmar aliança com o PMDB, e neste caso, teoricamente, se postarem como vices do atual prefeito e candidato, ou candidatura própria, como é tradicional ao PT em Goiânia.

Qualquer um que acompanhe a questão poderá concluir que uma parcela do PT em Goiânia opta neste momento pela aliança antecipada e espera em troca, cargos e benesses. O que é comum nesses casos.

Ana Lúcia enviou ao Fórum Permanente de Cultura, uma carta onde recupera a memória histórica do PT em Goiás e creio seja importante na discussão sobre o loteamento de cargos públicos em Goiás.

Ao que parece, tudo na política acaba na vala comum, tristemente.

"As alianças do PT.

Por Ana Lúcia Silva

Para alguém, como eu, que participo, há 40 anos, da luta de classes em Goiânia, é assustador ver como parte da militância do PT perdeu as referências históricas do Partido ao qual pertencem. Quem é o mandatário mor do PMDB, com o qual algumas alas do PT estão propondo aliança? Íris Rezende Machado. Quem é este político?Acompanho sua história desde quando era um advogado, que possuía uma Variant velha, até torna- se este milionário e poderoso político. Estes militantes já se interessaram em saber como ele construiu sua trajetória?

Íris foi cassado pela ditadura. Quando começamos a campanha da anistia em Goiás, Pedro Wilson na presidência do Comitê, o procuramos e ele se recusou a participar desta luta. O mesmo aconteceu nas Diretas já. Recusou-se a participar da campanha. Só o fez, quando vendo esta vitoriosa resolveu subir no palanque, no último comício em Goiânia.

Ela governava Goiás quando criamos a CUT em 1983. Será que os petistas que na época dirigiam o atual Sintego (Neide e Osmar, por exemplo) não se lembram dos 10.000 trabalhadores que demitiu, como ele nos reprimiu, como botou polícia e bombas em nossas manifestações? Será que não se lembram da violência da polícia, quando os sem teto ocuparam o Jardim Nova Esperança? Iris, inclusive, proibiu a imprensa de citar o nome da CUT. Nada disto já não importa? Por que?

Será que esta militância sabe que foram Íris Rezende e Maguito que iniciaram a nefasta política de não repassar os 30% constitucionais para a educação? Marconi Perillo só continuou o processo. Logo, a CPI da Educação proposta pelo deputado Luis César Bueno é uma pizza anunciada, pois não fará a devassa também nos governos do PMDB agora, possível aliado.

Será que esta militância se esqueceu de todos os escândalos econômicos envolvendo Íris e Maguito? Caixego, Serradourada, dentre outros? Isto já não importa? Então, assumem que PMDB e PT são farinha do mesmo saco, como o senso comum diz, portando, a aliança é natural.

Será que para esta militância não importa tudo que falaram do PT, dos seus dirigentes e militantes nas últimas eleições? Já se esqueceram da violência física que vários militantes sofreram, principalmente na Região Noroeste? Por que e em nome de que? Li, nos jornais, que é em nome do projeto Lula. Todo mundo sabe que o PT é um partido, com milhares de filiados e militantes, agora tornou - se um nome?

Será que para esta militância já não importa todas as promessas que Íris fez nas últimas eleições e não as cumpriu. Aliás, cumpriu a de asfaltar Goiânia que foi sempre seu carro chefe na aliança histórica que tem com os empreiteiros em Goiás.

Será que os que defendem a aliança conhecem a situação da Rede Municipal de Ensino em Goiânia ? Não construiu nem reformou nenhuma escola. Deu aumentos ridículos para o funcionalismo e mesmo estes, não os pagou integralmente. Não fez nenhuma jornada pedagógica para a progressão dos professores. Já se perguntaram sobre que é feito dos 25% do orçamento da prefeitura que deve ir para a educação? Corre uma investigação no Ministério Público.

Será que os que defendem a aliança têm andado pelos cais para ver a situação da saúde em relação aos profissionais e aos usuários?

Nada fez pelo transporte. Agora, está fazendo uma licitação altamente suspeita.

Será que sabem o que está passando com os vários programas sociais que estavam em processo de estruturação e crescimento?

Será que esta militância se perguntou por que o PMDB desprezou a aliança com o PT nas eleições anteriores e agora quer a aliança?

Se sabem sobre tudo o que citamos e mesmo assim querem a aliança, é mais grave. Aí, além de se jogar no lixo a história de luta da classe trabalhadora em Goiás, estão voltando às costas para as mentiras que são ditas.

Será que o PT não tem propostas para governar Goiânia e precisa ficar a reboque do PMDB e do Íris? Se não tem, por que ?

Por fim, com quais mecanismos se construiu em três meses (as eleições internas foram em dezembro) uma nova maioria no PT em Goiás?

Sugiro que esta militância pro aliança ande mais, converse mais com o povão e perceberão que o povo, no calado, vai dar o troco e teremos surpresas nas eleições em Goiás. "

Ana Lúcia da Silva é historiadora e militante política.

Um comentário:

Anônimo disse...

ISSO QUE É SACO SEM FUNDO... A CORRUPÇÃO NÃO TEM LIMITE:>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

http://www.jornalestadodegoias.com.br/pdf/edicao9/cad1/pag7.pdf