Ocorreu um erro neste gadget

quinta-feira, julho 24, 2008

NÃO VOTO EM POLÍTICO PROPAGANDA ENGANOSA

3 comentários:

Anônimo disse...

Não sei de muita coisa, mas se eu tivesse uma assessora que usasse argumentos tão pobres desse jeito, mandava de volta pra escola fundamental. Por isso, não acredito que essa assessora tenha escrito essa "abobrona" (sic). O candidato está perdido mesmo com essa 'ajuda'.

Deolinda disse...

O comentário abaixo é de alguém que não deseja ser identificado, achei por bem editar.

Gostaria porém de comentar que seria muito mais salutar se os comentário chegassem assinados e documentados, de modo a contribuir.

De quebra os problemas da SECULT começaram no dia 1º de janeiro de 2005, o que releva e muito os atos do atual gestor, que apenas segue, claro que com seu estilo, as orientações do Grão Mestre. E quem pensava que não podia piorar, agora caiu na real.

Ah, se ficarem ofendidos, lembrem da coligação PT-PMDB, antes de começarem a atirar contra mim. Fogo amigo não vale, tá na Convenção de Genebra.
Comentário anônimo:
"É verdade o que Deolinda afirma sobre o uso da maquina para os candidatos do (...) do prefeito. Se procurarem as pessoas certas, terão certeza. E as pessoas não imaginam o que tem acontecido depois que (...) saiu para se candidatar. Os dias têm sido sinistros (no mal sentido mesmo) para muitos funcionários desta secretaria, acima de tudo com o (...). Nada podia ser pior que isso. Nada. O vídeo demonstra a verdade.

25 Julho, 2008 17:55"

Anônimo disse...

POR ESSA O NERSO DA CATINGA NÃO ESPERAVA!
OLHA ESSA ZÉ ATENTO / ESSA É DE DOER:
MP denuncia: Estado pagou R$2.551,80 por remédio que custava R$15,32 .. MP indicia primo de Marconi Perillo e mais 11 pessoas por formação de quadrilha com esquema na Saúde que desviou mais de R$250 milhões do Estado desde 1999. Um esquema de fraude em licitações na Secretaria da Saúde, aponta para uma prática de superfaturamento no preço de remédios que pode estar vigorando há quase 10 anos em Goiás. Casos como este e outros já comprovados podem indicar as razões para a situação crítica da saúde pública no Estado. Durante todo esse período, há registros de compra de remédios com dispensa de licitação ou licitação com exigências inconstitucionais cujas planilhas apontam superfaturamentos exorbitantes, com destaque para uma empresa que tem como sócio-diretor Marcelo Reis Perillo, primo do ex-gov. Marconi Perillo é sócio da HospFar, empresa fornecedora de 45,9% dos medicamentos adquiridos pelo Estado - apesar do grande número de distribuidoras de medicamentos no estado. A quadrilha...