Ocorreu um erro neste gadget

domingo, novembro 16, 2008

Patrimônio Histórico de Anápolis - GO

Esse é um convite que gostaria de aceitar! Vale a pena a discussão.

CONVITE Negrito

A Vereadora Drª. Dinamélia convida a todos a participar da Audiência Pública: Patrimônio Histórico de Anápolis, que será realizada no dia 17 de novembro (segunda-feira), às 17:00 h, na Câmara Municipal de Anápolis. A audiência tem como objetivo debater a atual situação da Antiga Estação Ferroviária. A audiência contará com a explanação do Presidente do Conselho Municipal do Patrimônio Histórico de Anápolis sobre os principais problemas e demandas da atual gestão.

É importante sua participação para que possamos juntos defender o Patrimônio Cultural de Anápolis

Abraço,

João Barretto Acioly Lins
(62) 8497-8112

A idealização da Audiência Pública sobre o Patrimônio Histórico de Anápolis e proposta pela vereadora Dinamélia, que tem como fim debater a atual situação da Antiga Estação Ferroviária Prefeito José Fernandes Valente, foi inspirada no sentimento de proteção e recuperação de um patrimônio histórico e cultural que se encontra, atualmente, relegado ao abandono do poder público e com acesso e visibilidade impedidos à população devido as instalações do terminal urbano de Anápolis.

Esse prédio de grande valor histórico e cultural para o povo anapolino foi construído na primeira metade do século passado, mais precisamente em 1934, sendo tombado à condição de patrimônio histórico municipal por força da Lei Municipal n° 1.824, de janeiro de 1991, sancionada pelo então prefeito Dr. Anapolino de Faria.

A chegada dos trilhos da estrada de ferro a Anápolis foi fator determinante para impulsionar o desenvolvimento da cidade, constituindo-se num verdadeiro intercâmbio comercial , facilitando inclusive, a migração de pessoas originárias de diversas partes do país e, principalmente, de São Paulo e do Triângulo Mineiro.

Com este importante acontecimento, para cá vieram imigrantes sírios e libaneses, constituindo-se em numerosas colônias que deram origem a grupos econômicos de importância significativa, não só para Anápolis, mas também, para a economia goiana.

A idéia da construção da Estrada de Ferro Goyaz teve inicio na época da República Velha (1.889 - 1.930) que vislumbrava traçar em território goiano uma ferrovia, partindo do terminal ferroviário de Araguari, passando por Catalão, Ipameri, Pires do Rio e Silvânia, alcançando a Vila de Santana das Antas, hoje Anápolis.

Tal idéia se tornou realidade e o lançamento da pedra fundamental da Estação Ferroviária de Anápolis ocorreu em 28 de agosto de 1.933, pelo então intendente do município João Luiz de Oliveira.

O prédio da estação foi inaugurado em 07 de setembro de 1.935 e recebeu o nome de Estação Ferroviária Prefeito José Fernandes Valente. Esta obra histórica é tida pelos historiadores como o maior símbolo do desenvolvimento econômico desta cidade. Na década de 30 influenciou diretamente no crescimento do comércio e da agricultura comercial, o que favoreceu a evolução urbana e fez de Anápolis o maior centro comercial de Goiás, se tornando, portanto, para este município, um verdadeiro monumento histórico e cultural.

Com a descaracterização, o prédio da antiga estação ferroviária ficou "ilhado", sendo que a população não pode contemplá-lo à distância, em razão da obra construída em seus arredores, escondendo dessa forma, a exuberância de sua arquitetura.

No dia 08 de agosto do corrente ano, firmou-se em audiência no Ministério Público com a presença do Conselho Municipal do Patrimônio Histórico e Cultural de Anápolis, Prefeitura e TCA, a retirada de parte do terminal urbano da Antiga Estação Ferroviária. Essa determinação foi uma vitória e representa um grande avanço para aqueles que defendem a recuperação e revitalização do patrimônio histórico, cultural, paisagístico e arquitetônico da cidade de Anápolis.

Incluo-me entre aqueles que lutam pela restauração deste monumento nos moldes originais, para que se possa devolver a população de Anápolis o direito de cultuar este marco histórico e cultural da nossa cidade, revitalizando assim, a sua importância arquitetônica, histórica e cultural que é um patrimônio de todos nós.

Devemos juntos zelar não só pela preservação do nosso acervo histórico, mas também, pela melhoria da cultura em todas as suas linguagens em nosso município.

Um comentário:

Renato Mendes disse...

Olha só que boa notícia. Sempre tive grilos com aquele terminal horroroso instalado no coração da cidade.

A dinastia da TCA parece estar acabando na cidade. O contrato de 20 anos deles com a prefeitura vence no mês que vem e sinto o cheiro de licitação e concorrência pública no ar.