Ocorreu um erro neste gadget

domingo, agosto 20, 2006

E o Grande Hotel, hem?

O jornal Diário da Manhã publicou no seu caderno de OPINIÃO o excelente e irônico texto do escritor Luiz de Aquino, que levanta a lebra de como a cidade está sendo administrada pelos auxiliares do Prefeito Iris Resende.

Para ler a crônica basta clicar no título do post.

O poeta e escritor também publica um blog http://penapoesiaporluizdeaquino.blogspot.com/ .

Goiânia, na gestão da cultura está sem rumo, sem projeto e a abortada invasão do Grande Hotel por parte da Secretaria de Obras só demonstra que, a área vem sendo administrada como foi a falecida AVESTRUZ MASTER(empresa que prometia aos incautos lucros exorbitantes e deu no que deu). E de quebra, só para complementar o desastre, a assessora de imprensa Marley Costa Leite age como uma avestruz, quando em perigo, enfia a cabeça no buraco... E nega! Já começo a ter pena do titular da pasta, com uma assessoria assim, nem Deus ajuda.

De fato Prefeito, alguém precisa lhe contar como andam as coisas em Goiânia.

E só para dar um gostinho e vontade de ler a crônica na íntegra, uma canja:

"E o Grande Hotel, hem? por Luiz de Aquino

Alguém precisa avisar o prefeito. Estão aprontando a mil nesta cidade onde a Primavera já teve doze meses e ele não sabe. Vejo-o solene na tevê, confundindo-se com os atuais pedidores de votos, mas chamando o povo a preservar a cidade, mantê-la limpa (tal como foi outrora, num passando de bem poucos anos).

Alguém precisa dizer ao prefeito que pessoas com uniformes do poder público municipal derrubam criminosamente as árvores que ocultam com suas irritantes frondes umbrosas, os lindos letreiros dos estabelecimentos comerciais. Duvidam? No ano passado, gente da própria prefeitura derrubou uma imensa gameleira no pátio da Creche São Domingos Sávio. A gigantesca planta ocultava parcialmente o mausoléu de mármore branco que serve de sede ao escritório goiano do Tribunal de Contas da União."
Fonte: Diário da Manhã

Um comentário:

Deolinda disse...

E não é que o Diário da Manhã publicou alguns dos comentários feitos à cronica do Luiz de Aquino? 22/08/06 http://www.dm.com.br/opiniao_do_leitor.php?edicao=6864
Patrimônio
Comentários on-line ao artigo “E o Grande Hotel, hem?”, de Luiz de Aquino (20/08)
• É isso aí, brioso cronista. Hoje, o preço da qualidade de vida dos habitantes das grandes cidades é a eterna vigilância. Os intelectuais, as pessoas bem-intencionadas precisam estar sempre alertas (quem foi escoteiro sabe) diante das ações dos poderosos da grana e da política, caso não respeitem ou não defendam os patrimônios ambiental e cultural da população. Atitudes corajosas, como a sua, contarão sempre com a nossa solidariedade.
Herondes Cezar
• Parabéns, Luiz, já não é sem tempo que Goiânia precisa acordar, antes que se torne um deserto, sem árvores e sem cultura. O prefeito de Goiânia, até onde sabemos, tem um perfil de político executivo e na área do meio ambiente escolheu muito bem o seu secretário, homem que há muito defende o verde. Mas Goiânia está sendo podada e derrubada no que tange à flora já existente. Na Rua 211, na Vila Nova, todas as árvores foram arrancadas, sem dó e nem piedade. No IEG foi triste passar por lá e assistir à derrubada das palmeiras por funcionários da Celg. Por todo lado, as árvores estão sendo derrubadas e os quintais, cimentados. As ruas estão imundas e em todas as partes há infestações de carrapatos. E ninguém se lembra que doença de carrapato leva a óbito. A natureza se vinga, ainda que seja urbana! E na cultura? Melhor nem falar.
Deolinda Conceição Taveira Moreira