Ocorreu um erro neste gadget

quarta-feira, janeiro 23, 2008

UM TEÓRICO DO CINISMO.


O artigo acima foi publicado hoje no jornal Diário da Manhã e reflete bem o cinismo de determinados gestores públicos. Não costumo ler esse tipo de lixo, mas, esse vale a leitura, pois explica bem como é a unidade pensante de um grande intelectual goiano.

E ainda demonstra que Goiânia é realmente a terra dos coronéis e no pior sentido, pois é dos coronéis que acham que a Lei só foi elaborada para ser burlada. São uns tipos que envergonham no cotidiano as pessoas de bem, que deixam com sentimento de culpa quem acredita que a vida deve ser encarada de frente com ética e honestidade.

Ontem, um dos mentores em tempos passados do atual secretário de Cultura de Goiânia reafirmou que a SECULT é um antro, e que a Lei é burlada ali cotidianamente, o erário usado para beneficiar diretores e outros tipos, em detrimento daqueles que efetivamente produzem cultura e hoje, no mesmo jornal, o próprio secretário tece uma teia de letrinhas para informar aqueles que denunciam que não há chance de vitória contra ele. (Para recordar leia o post anterior "Quem não chora não mama 2")

Ele, que se julga o próprio deus, acima da lei, dos demais, homens e mulheres, segue ileso, mesmo sendo apontado claramente pela UFG, como autor de uma tese de doutorado elaborada com base no ctrl+C e ctrl+V, como mentor e ordenador da fraude da 3ª CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE CULTURA, como chefe do antro que usa a Lei de Incentivo a Cultura em beneficio próprio, como IMPROBO pelo MP e tantas outras atitudes bem pouco dignas de um gestor público.

Será que o cidadão tem razão? A Lei e justiça goiana só mandam para cadeia ladrão de galinha? Será que o erário é realmente o pasto onde os coronéis colocam para pastar as suas mulas? Haja cinismo!
Com já havia comentando antes, o calcanhar de Aquiles do Prefeito de Goiânia é a SECULT. Não que isso importe muito, considerando que o Prefeito ainda acredita que na área cultural voto é que menos conta, mas morre de medo da pena afiada dos "escritores" na defesa de seus interesses.

Nenhum comentário: