Ocorreu um erro neste gadget

quinta-feira, janeiro 10, 2008

O jornal de Fortaleza "O POVO" de 10/01/2008 na coluna "O POVO nos Bairros" publicou uma nota sobre a atuação positiva do Ministério Público no sentido de coibir a matança de animais sadios no CCZ.

Goiânia bem que poderia ter um peitudo no MP que obrigasse o Prefeito de Goiânia a adotar medidas positivas tais como campanhas de castração, de posse responsável, ao invés de estimular a captura de animais sadios no Bosque dos Buritis para serem mortos no CCZ.

Atualmente, as entidades de proteção ainda tentam resolver o problema criado pela súbita RECOMENDAÇÃO da 15ª Promotoria do MP-GO de retirada imediata dos gatos do Bosque dos Buritis. Os animais passaram a ser caçados com zarabatanas e apontados como culpados, pela possibilidade de proliferação da contaminação das pessoas pela febre amarela.

Qual o crime? Acusados de comer a carcaça dos macacos mortos e que estariam possivelmente contaminados pelo vírus.

Entretanto, já é certo que não existe qualquer estudo em Goiânia sobre o comportamento dos animais. Existe sim, a lenda, gatos comem passarinhos e agora carcaça de macacos.

Não seria mais lógico o controle da população de gatos? Os gatos do Bosque dos Buritis devidamente cadastrados, castrados, vermifugados, vacinados, em número de tantos animais sob os cuidados de uma das entidades de proteção em parceria com a Prefeitura?

Punição severa para quem abandonar no local outros animais. Campanhas de castração de animais domésticos, de posse responsável.

Todavia o que vemos é apenas a pressa em obedecer a recomendação de retirar os gatos, e nada de projeto de educação ambiental e posse responsável, também recomendado pelo MP-GO.

Abaixo a nota publicada no jornal O POVO.

"MP
O promotor de Justiça José Francisco de Oliveira Filho informa que notificou, na última segunda-feira, 7, a prefeita Luizianne Lins e o secretário municipal de Saúde, Odorico Monteiro, para que, no prazo de 20 dias, proíbam o Centro de Controle de Zoonoses de Fortaleza (CCZ) de proceder a eutanásia de animais caninos e felinos antes do período de quarentena e sem exame médico-veterinário que aponte a doença incurável ou terminal para justificar tal sacrifício.


Na notificação, o promotor orienta que seja desenvolvida campanha maciça de castração e esterilização dos animais, de modo a evitar a crueldade da matança desordenada ."
http://www.opovo.com.br/opovo/colunas/opovonosbairros/757789.html

2 comentários:

Aninha disse...

Também enviei cópia dessa notícia para a 15ª Promotoria de Goiânia, e para a Coordenação da Promotoria.
Quem sabe o pessoal daqui, do MP, cria coragem!

Stella disse...

Sabe o que é mais engraçado?
Tenho uma gatinha que foi pega depois de ser atacada por macacos, estava toda rasgada e com varios musculos da barria rompido. Ela passa muito bem ja.
Mas falar isso, de gatos comer macaco é a coisa mais abusurda pra uma biologa.

:S

E olha, simples notificação ja faz tanta coisa.