Ocorreu um erro neste gadget

sexta-feira, abril 21, 2006

VICE E VERSA

DINHEIRO PÚBLICO E ADMINISTRAÇÃO PRIVADA? EU, HEM?!

Nos últimos dias, Goiânia, ou melhor, os jornalistas e a classe cultural goianiense, em franca ebulição manifestaram-se a respeito dos milhões investidos pelo Governo de Goiás na construção do Centro Cultural Oscar Niemeyer. Os prós e os contra foram unânimes em apenas um ponto: “Dinheiro público e administração privada? Sou contra!”.


Além de mudar o cenário cultural goiano, o centro cultural construído pelo Estado de Goiás, de certa maneira também mudou a forma da imprensa local aplaudir os feitos governamentais. Quero dizer claro, quando o assunto interessa a mídia nacional. Como foi o caso da inauguração do inacabado Centro Cultural Oscar Niemeyer. A imprensa goiana primou pelo exercício da crítica construtiva. Parabéns!

E na Prefeitura de Goiânia um outro tipo de “milagre” acontece com dinheiro público, desta vez, os parcos recursos são “aplicados” em um prédio de particular. Para se contrapor a magnífica construção do Centro Cultural Oscar Niemeyer, a Prefeitura de Goiânia, “adotou” o falecido Cine Ouro.



Segundo o colunista Tony Carlo, na coluna CAFÉ DA MANHÃ do jornal DIÁRIO DA MANHÃ, historicamente o Cine Ouro foi famoso na década de 90 por divulgar os filmes de Hollywood e cederá lugar ao Centro de Cultura Municipal, com teatro com 300 lugares e cinema com capacidade de 270 assentos.

E também que disporá de uma área para café, convivência e exposições. A matéria na integra poderá ser lida gratuitamente em http://www.dm.com.br/colunas.php?coluna=5&edicao=6742

Certamente o Cine Ouro, na visão do colunista foi importantíssimo para a história cultural de Goiânia. Será?

Mas, quais os critérios(se é que existiram) foram utilizados pela municipalidade para escolher “investir” dinheiro público no falecido Cine Ouro? Localizado literalmente a uma quadra do "menosprezado" Grande Hotel(vejam texto Memória ou Esquecimento?), o Cine Ouro de propriedade de particular recebe investimentos na ordem de 1,5 milhões por parte do poder público.

Entretanto, no Grande Hotel, prédio tombado como patrimônio histórico nacional brasileiro Art Déco, com uma área construída muito superior ao do Cine Ouro, o último investimento que recebeu na restauração e conservação foi da Casa Cor. E isso foi nos idos de 2004.

E então? O Estado de Goiás ao investir vários milhões em um centro cultural e propor a terceirização de uma parcela dos espaços e serviços nos causa frisson e a Prefeitura de Goiânia “adotando” por poucos milhões um prédio de particular (Cine Ouro) nos causará o quê?

Em tempo, imagens belíssimas do Centro Cultural Oscar Niemeyer podem ser vista no blog do Gravatá:
http://oglobo.globo.com/online/blogs/gravata/post.asp?cod_post=9736

Para saber mais sobre a situação da cultura em Goiânia http://carosamigos.terra.com.br/do_site/coluna/leitor.asp?id=15837
http://www.entreatos.blogspot.com/

Nenhum comentário: